O NOSSO OBJETIVO É  REGULAMENTAR OS ANIMAIS SILVESTRES QUE  ESTÃO DOMESTICADOS NOS LARES BRASILEIROS.
 Não apoiamos a retirada de qualquer espécie animal silvestre de seu habitat natural (exceto em casos de conservação da espécie), e quem retirar deverá ser penalizado no rigor da lei, somos contra a comercialização ilegal ou tráfico de animais silvestres.
 Milhares de pessoas no país acabaram adquirindo um animal silvestre e perante a legislação qualquer cidadão que possui um animal silvestre é considerado criminoso. Defendemos a legalização e anistia dos animais silvestres, que na sua maioria são aves de diversas espécies que já estão adaptadas e residem nos lares brasileiros.
 Muitos animais vivem nessas condições e estima-se que no Brasil tenha mais de 30 milhões de animais irregulares fazendo parte das famílias, o papagaio por exemplo vive em média 80 anos, foi domesticado, se alimenta nas mãos do seu dono e não poderá mais ser devolvido a natureza porque não possui mais o instinto de defesa contra os possíveis predadores e por não saber buscar seu alimento na natureza, sem falar que seu habitat natural está se extinguindo com o desmatamento e queimadas. Quando ocorre uma denúncia as autoridades vão à residência onde o animal habita e é apreendido por falta de legalidade e o dono será processado, multado e criminalizado, o animal acaba indo para instituições e não será reintroduzido na natureza pelas autoridades, gerando sofrimento para o animal e seu dono, e como consequência o animal acaba morrendo por falta do afeto familiar.
 Se for um pássaro de canto, de linhagem, o IBAMA, não tem efetivo suficiente, nem corpo técnico voltado para o criador amadorista e comercial. Quando nasce um filhote não temos regulamentação correta das anilhas pois os filhotes nasceram na gaiola, sendo animais domésticos e todos são penalizados. O Censo atualizado destes animais é algo que não existe e ninguém sabe responder quantas aves de canto existem na natureza, não há estimativa, mas quantos nascem nos criadores é um número conhecido e não estão em extinção. Existe uma paixão a muitas décadas dos brasileiros pelas aves de canto e se tornou um hobby de milhões de pessoas no país. Com a legislação correta os eventos de canto poderá ser difundido como nos rodeios, gerando milhares de empregos e garantindo a procriação de muitas espécies. Se continuarmos sem lei adequada para a categoria, esses eventos de canto irão se acabar. O canto não pode ser extinto.
 Com todas as tecnologias existentes muitas espécies de animais se reproduzem em criadores comerciais e domésticos (amadoristas) há mais de 40 anos com técnicas de reprodução de muitas espécies e a falta de lei para o segmento impede a criação e reprodução de animais silvestres que estão ameaçados de extinção. Exemplo: aves de canto que já vem de uma linhagem de várias gerações domesticadas que nascem nas gaiolas em seus criadores, como o Curió, Bicudo, Trinca-ferro, Coleirinha, Papagaio e animais exóticos entre outros.
 Na agricultura, após a utilização de agrotóxicos nas plantações, resulta na morte de diversas aves silvestres e não existe penalização alguma para este caso, enquanto que para o criador que cuida e preserva suas aves é rotulado como criminoso, porque o termo “passarinheiro” tem uma conotação de ilegalidade. A lei está em falta de sintonia com a preservação. Se eles estão ameaçados e não existe na natureza, extinguem-se também os que se adaptaram!  Nós somos a favor dos animais, de sua continuidade e dos que cuidam para que eles não deixem de existir. Você que possui um animal silvestre-doméstico e não consegue legalizá-lo, a única solução de resolver o problema é com o Projeto de lei da BioAnimal que será elaborado com a participação da categoria envolvida, com a proposta de anistia e legalização dos animais silvestres-domésticos com posse legal do animal e o criador se tornando o seu fiel depositário com a documentação. A partir do momento que esta pessoa tem a anistia do seu animal de estimação ela não será mais criminalizada como traficante de animais. A situação real hoje é que a lei não dá chance para regulamentar esses animais que estão clandestinos com as famílias, estudando cada caso de espécie animal para a legalização.
     Contamos com seu apoio no Projeto de Lei!
  A lei precisa ser justa a todos.